A solidão se constitui em um fenômeno universal de dimensão espacial e temporal. Diante desta realidade torna-se cada vez mais disseminada, a ideia de que a solidão é um dos atributos que mais definem o homem pós-moderno. Por isso, estudar esse sentimento ajuda a compreender de forma equilibrada a melhor maneira das pessoas lidarem com esse fenômeno. Pesquisas sinalizam que vem aumentando o número de pessoas vivendo sozinhas no continente europeu e continente americano, especificamente nos Estados Unidos. No tocante a este ponto, há alguns elementos que cooperam para que as pessoas vivam desta maneira. Estes elementos estão diretamente relacionados às questões externas e internas da vida dos indivíduos.

A espiritualidade pentecostal dá ênfase à presença de Deus em sua vivência diária, e em consequência ter muitas experiências com Deus, levando o pentecostal a admirar a plenitude do divino, a ter sentimentos de elevação da alma a Deus; experiências estas que mais tarde servirão de base para a racionalização da fé. Porém ao racionalizar a fé corre-se o risco de perder “o primeiro amor” no dizer dos pregadores pentecostais; para evitar isto proponho os seguintes cuidados.